TECNOLOGIA

Eletricistas aprovam capacete hi-tech

Os testes de campo realizados ao longo dos ;ltimos quatro meses pelos eletricistas da Copel comprovaram a eficácia tecnológica do capacete com sensor de tensão, capaz de detectar campos elétricos a uma distância segura da rede. O equipamento está sendo desenvolvido pelo Lactec para a Copel Distribuição, sob a chancela da Coordenação de Pesquisa e Desenvolvimento da Copel (CPQ).

É o que garante o engenheiro eletricista Paulo Moreira de Souza, de Pato Branco, mentor e gerente do Projeto de P&D “Sensor de Proximidade de Rede de Distribuição Energizada como Acessório de Capacete de Segurança”, com base nas avaliações dos 20 protótipos experimentados por eletricistas de diferentes regiões do Paraná.

Alojado em uma caixinha na parte frontal do capacete, o software está calibrado para detectar campos elétricos por aproximação das chamadas áreas contaminadas – a distância mínima de segurança recomendada é de 60 cm nas redes de 13,8 mil volts e de 100 cm nas de 34,5 mil volts.

Se reduzidas essas distâncias, o aparelho, então, emite automaticamente um alerta sonoro intermitente, que só cessa se houver o afastamento da área de risco. O dispositivo, no entanto, é projetado para uso em redundância com os equipamentos de proteção individual e coletiva obrigatórios, e nunca de forma isolada ou exclusiva.

Os eletricistas Ricardo Luiz Mouro e Leandro Bender, da Agência Cascavel, por exemplo, testemunharam que o acessório não dificultou em nada as atividades e funcionou perfeitamente, permitindo, inclusive, que o sinal sonoro fosse claramente ouvido do solo.

Agora, o grupo de trabalho - do qual também fazem parte Anderson Marcos Witkovski, eletrotécnico de Pato Branco; Marcus Geraldo de Drusina Vôos, da Coordenação de Segurança do Trabalho em Curitiba; Juliana Pinheiro de Lima e Eduardo Otto Filho, da Engenharia de Distribuição; além do coordenador técnico André Eugênio Lazzaretti, engenheiro do Lactec - pretende apresentar relatório final à Diretoria de Distribuição.

O pedido de patente em nome da Copel Distribuição já está protocolado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).