Copel Distribuição

Precisando de luz em sua casa?

Resolver algum problema de fornecimento, ou querendo alguma outra informação?

Aqui você encontra tudo que pode lhe ajudar com a conta de luz de sua casa, seja vocÊ um novo cliente ou um cliente antigo.

Solicite a ligação de energia em sua casa de forma ágil e eficiente direto do conforto de sua casa.

Saiba como controlar o gasto de energia elétrica de sua casa. No simulador você pode calcular o consumo de cada aparelho nos diferentes cômodos.

Pode ser no débito automático, em nossa rede arrecadadora, nos bancos ou nas lotéricas.

Escolhe a forma mais cômoda para você.

A tarifa social é um benefício criado pelo governo federal, que concede descontos às famílias de baixa renda.

Conheça mais sobre o programa:

O luz fraterna é um benefício criado pelo governo do estado do Paraná, no qual o governo paga a conta de luz das famílias de baixa renda.

Conheça mais sobre o programa:

Para evitar acidentes, existem muitas situações de risco que merecem cuidados. Por falta de atenção ou desinformação, muitas pessoas têm sido vítimas de acidentes com eletricidade, algumas vezes fatais, pelo simples fato de tocarem ou se aproximarem demais dos fios elétricos.

Quer uma conta de luz mais barata?

Para economizar na sua conta de luz você não precisa deixar de ver TV, nem passar calor por não ligar o ar-condicionado, o segredo está no uso de equipamento eficientes e seguir algumas de nossas dicar para evitar desperdícios.

Prevencão

Campanha de prevenção de acidentes com cães

Diariamente, os leituristas da Copel percorrem as cidades de todo o Paraná para verificar o consumo de energia de cada cliente. Nesse trabalho, o principal risco de acidentes enfrentado pelos empregados é o ataque de cães que estão na rua ou conseguem fugir da propriedade. A cada dia, em media, 115 pessoas sofrem acidentes com cães no Paraná. Entre os alvos mais comuns, encontram-se carteiros, leituristas e garis, que em muitas situações não podem voltar ao trabalho devido à gravidade do ataque. Para se ter uma ideia, as mordidas de cachorros representam a segunda maior causa de acidentes em toda a Copel.

Se você possui cachorro em casa, pode e deve tomar alguns cuidados para garantir a segurança dos leituristas e a qualidade do serviço da Copel. Manter livre a entrada para a leitura dos medidores de energia é um dos deveres do consumidor. E os cães estão entre os principais impedimentos ao acesso à medição da energia consumida pelos clientes da empresa. Se houver risco de acidente para fazer a leitura, o empregado é orientado a não realiza-la.

Além de aumentar as chances de erros na conta de luz, em casos extremos a Copel pode suspender o fornecimento de energia para o dono do “cão bravo”. O artigo 936 do novo Código Civil, Lei 10.406 de 2002, determina que: “o dono, ou detentor, do animal ressarcirá o dano por este causado, se não provar culpa da vítima ou força maior”.

Com o objetivo e desenvolver ações que ajudem a conscientizar a população sobre a importância dos cuidados com os animais de estimação, para prevenir acidentes, a Copel, em parceria com os Correios, Sanepar e Cavo participa desde 2012 da Campanha de Prevenção de Acidentes com Cães – a PrevenCão. Por meio de apresentações teatrais em eventos sociais, empresas e escolas leva orientações sobre o cuidado com os cães.

Para conhecer os cuidados que devem ser tomados e saber como evitar acidentes com cães, clique no link abaixo e consulte a cartilha produzida pelas empresas da Campanha PrevenCão. O documento reúne informações e dados sobre os acidentes com cães em todo o Paraná, dá orientações sobre como cuidar dos cães, e explica as leis que responsabilizam o proprietário pela omissão na guarda de animais.

Acesse a cartilha da campanha PrevenCão

Para começar, siga algumas orientações que ajudam a evitar acidentes:

  • Instale a caixa de correio longe do alcance do seu cão;
  • Ao solicitar serviços da Copel avise da presença de cão no seu imóvel;
  • Mantenha as vacinas em dia e não deixe seu cão solto na rua;
  • Nos dias de leitura de leitura, procure manter seu cão longe do medidor de luz (você pode consultar a data da leitura em sua conta de luz);
  • Na posse de cães agressivos sinalize, em local bem visível, com a placa “CÃO BRAVO”.

Iluminação de Vias Internas de Condomínios

Nesta seção estão disponíveis as orientações referentes aos documentos necessários, para pessoa física e jurídica, bem como os formulários para solicitações e alterações no sistema de iluminação em vias internas dos Condomínios.

Documentos relacionados à identificação do consumidor

Pessoa Física:
  • CPF, com situação cadastral válida junto à Receita Federal do Brasil – RFB; e
  • carteira de identidade, ou na ausência desta, outro documento de identificação oficial com foto; ou
  • apenas o Registro de Nascimento Indígena – RANI no caso de indígenas.
Pessoa Jurídica:
  • Cartão CNPJ emitido no Estado do Paraná;
  • Comprovante de Inscrição Estadual (sempre que houver); e
  • demais documentos constitutivos, conforme exibido a seguir:

Condomínios – Convenção Condominial registrada no Cartório de Registro de Imóveis e Ata da assembléia de eleição do síndico registrada no Cartório de Títulos e Documentos.

Empresa “Ltda” – Contrato Social e última alteração, registrados no Cartório de Registro de Pessoa Jurídica ou na Junta Comercial.

Empresa “S/A” – Estatuto Social e última alteração, registrados na Junta Comercial.

Empresário Individual – Formulário de Requerimento de Empresário (antiga Declaração de Firma Individual), registrado na Junta Comercial.

Microempreendedor Individual (MEI) – Certificado da Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI).

Consórcios – Contrato de consórcio registrado na Junta Comercial, em que conste nomeação de representante legal autorizado a celebrar contratos.

Formulários

Declaração de carga de condomínios
Declaração do responsável pelo empreendimento
Termo de compromisso para utilização de postes por condomínios
Formulário para alteração de iluminação de vias internas de condomínios.

Quer instalar a internet da Copel Telecom em sua casa. Visite o site e conheça todos nossos planos.

Ficou com alguma dúvida?

Sim. Por exemplo: os equipamentos (televisor, DVD, micro-ondas, videocassete, etc) que a maioria das pessoas têm em casa em standby (modo de espera) podem consumir 32,5 kWh por mês. Para saber qual o consumo em standby de cada aparelho, você deve consultar o manual do fabricante. Cada aparelho possui características e variáveis próprias de acordo com o seu dimensionamento e marca.
Ir ao topo

Antes de mais nada, é preciso conhecer a potência do equipamento. Procure esta informação no manual do fabricante. Em seguida, faça o cálculo da seguinte forma:

Potência do Equipamento (W) x Número de horas utilizadas x Número de dias de uso mês, dividido por 1000.
Para achar o valor em Reais multiplique o consumo médio mensal em kWh pelo valor da tarifa cobrada pela concessionária local.

Obs.: São consideradas as potências médias dos equipamentos, entretanto tais valores podem variar de acordo com o fabricante do equipamento, ano de sua fabricação, estado de conservação, etc.

O conceito de eficiência energética está vinculado à redução de consumo sem perdas no conforto e na qualidade dos produtos.

Sim. Por exemplo: um freezer com o Selo Procel pode economizar até 31% de energia; um condicionador de ar, 34%; e a lâmpada compacta, 75%.

Fuga de energia é o vazamento da energia devido a falhas no isolamento ou as conexões da fiação interna do imóvel.

Para detectar esse problema, proceda da seguinte forma:


Para medidor eletromecânico
(com disco):

  • Desligue todos os aparelhos das tomadas e apague as luzes;
  • Mantenha todos disjuntores ligados, é importante que a instalação elétrica fique energizada;
  • Aguarde 10 minutos;
  • Verifique se o disco do medidor continua girando;
  • Caso continue, peça para um profissional realizar uma revisão completa na fiação elétrica.

Para medidor eletrônico
(sem disco):

  • Identifique no medidor, qual é o led (lâmpada) que pisca com maior ou menor frequência conforme a energia é utilizada;
  • Desligue todos os aparelhos das tomadas e apague as luzes;
  • Mantenha todos disjuntores ligados, é importante que a instalação elétrica fique energizada;
  • Verifique no medidor se o led está piscando. Durante a verificação, o led poderá piscar, no máximo, uma vez;
  • Caso continue, peça para um profissional realizar uma revisão completa na fiação elétrica.

O consumo de uma lâmpada fluorescente compacta, circular ou tubular, é apenas 25% do de uma lâmpada incandescente. Dê preferência para as lâmpadas com o Selo Procel Inmetro de Desempenho na área de iluminação, pois ele é a garantia de um produto durável e econômico.

Primeiramente, você deve saber se o relógio é analógico ou digital.
Analógico:
este é composto por quatro relógios. Comece a leitura pelo marcador da unidade localizado a sua direita. Repare que os ponteiros giram no sentido horário e anti-horário, e sempre no sentido crescente dos números, ou seja, do menor para o maior número.

Digital:
o medidor digital ou ciclométrico apresenta os algarismos em formato digital, funcionando como um registrador de quilometragem percorrida por um veículo. Nesse tipo de relógio de luz, os números que aparecem no visor já indicam o valor da leitura.

Quando o leiturista não consegue fazer a leitura do medidor, o valor da fatura é calculado pela média dos últimos doze meses. Isso pode ocasionar um acúmulo de consumo, pois quando for feita a leitura no relógio poderá ficar constatado que o consumo foi maior do que o cobrado nas contas pela média. Se houver diferença de consumo, esse valor será cobrado. Por isso o consumidor deve facilitar o acesso ao relógio. É importante lembrar que na conta vem discriminada a data da previsão da próxima leitura, para que o consumidor possa se programar.

O livre acesso à medição é importante para que seja feita a leitura correta e para que nossa equipe possa fazer a manutenção e inspeção do medidor, garantindo a confiabilidade e segurança aos nossos clientes. Conforme a Resolução Normativa ANEEL Nº 414 de 2010, artigo 171, o fornecimento de energia elétrica pode ser suspenso temporariamente, até que seja regularizada a situação.

Não podemos comparar um fornecimento com o outro. Mesmo possuindo os mesmos equipamentos que o seu vizinho, algumas questões devem ser observadas quanto à marca e modelo de cada equipamento, hábitos de uso e períodos em que cada cliente os utiliza ligados. O número de pessoas residentes também é um fator importante.

Por ordem, são:

  1. geladeira e freezer,
  2. chuveiro elétrico,
  3. iluminação,
  4. televisão,
  5. ferro de passar,
  6. máquina de lavar e outros (enceradeira, liquidificador, aspirador de pó).

Watt é a unidade de medida da potência que cada aparelho requer para seu funcionamento, e o nome é dado em homenagem ao físico escocês James Watt. Volt é a unidade de medida da tensão em que é fornecida a energia elétrica. O nome é homenagem ao físico italiano Alessandro Volta. A tensão utilizada nas residências da área de concessão da Copel varia dependendo do tipo de ligação na unidade consumidora:

  • Ligações monofásica fornecem apenas a tensão de 127V;
  • Ligações bifásicas ou trifásicas, fornecem tanto 127V quanto 220V. Algumas ligações bifásicas rurais podem fornecer a tensão de 254V ao invés do 220V.

Este site possui um serviço para atender a esta necessidade em Fale Conosco ou entre em contato com a Copel pelo telefone

0800 51 00 116.

O recebimento da primeira conta de energia elétrica ocorre entre 15 e 45 dias após a execução da ligação.

A maneira mais confortável e segura de quitar a fatura de energia elétrica é via débito automático em conta corrente. Para isto é necessário ter conta corrente em uma das instituições bancárias credenciadas pela Copel.

O titular da conta bancária deverá ser, preferencialmente, o titular da conta de energia elétrica. O cadastramento do débito automático deve ser solicitado diretamente ao banco. A fatura de energia elétrica será encaminhada mensalmente à unidade consumidora, contendo a mensagem de que encontra-se em débito automático em conta corrente.

Ela não poderá ser quitada via caixa eletrônico, uma vez que não possui código sequencial de barras e servirá apenas como um demonstrativo dos itens faturados. A confirmação do pagamento, para qualquer efeito, deverá ser feita por meio de extrato bancário.

Exclusão: a exclusão do débito automático também é realizada pelo banco.

Mudança de banco: o consumidor deverá dirigir-se à nova agência bancária. Não há necessidade do cancelamento da autorização anterior, uma vez que o sistema está preparado para assumir a última informação processada. A Copel sugere a consulta ao site do seu Banco para verificar a disponibilidade desse serviço pela Internet.

Sim. A entrega da sua conta de energia elétrica poderá ser feita através de sua caixa postal ou outro endereço que você escolher. Entretanto, será cobrada por fatura uma taxa de Serviço de Entrega Alternativa, no valor de R$ 1,84, quando a entrega de fatura ou aviso de recebimento for de Unidade Consumidora da Área Urbana para outro local também urbano. Somente não será cobrada essa taxa de entrega se a Unidade Consumidora for na zona rural.

Sim. A Copel oferece ao consumidor, dentro do mês de vencimento, várias datas opcionais de vencimento da conta. Basta solicitar a mudança, atentando para o fato de que:

As datas de leitura e apresentação permanecem as mesmas estabelecidas para a região à qual pertence a Unidade Consumidora.

Quando houver desligamento ou alteração do titular pela Unidade Consumidora, o descadastramento será automático.


A alteração da data de vencimento pode ser realizada através dos Serviços Online na Agência Virtual, pelo telefone 0800 51 00 116 ou em qualquer das Agência da Copel. 

O valor da multa é de 2%, mais a cobrança de juros de mora de 1% calculados pro rata die e atualização monetária baseada no o IGP-M (Fundação Getúlio Vargas) do dia do pagamento.

Cessado o motivo da suspensão, o restabelecimento ocorrerá em até 24 horas (para UCs localizadas em área urbana) e em até 48 (para UCs localizadas em área rural), prazo válido a partir da programação ou solicitação.

Religação solicitada em dias úteis após as 18h, nos finais de semana ou feriados será programada para as 7h do próximo dia útil. No caso da solicitação feita por telefone, é obrigatório que o pagamento da fatura seja comprovado no local.

Verificar na página Iluminação Pública ou pelo telefone 0800 51 00 116 se a manutenção da IP é de responsabilidade do município e informará o telefone para reclamação junto à Prefeitura Municipal, se for de responsabilidade da Copel, será emitido protocolo para atendimento.


IMPORTANTE: Independente de qual for a responsabilidade sobre a manutenção de IP, a Copel não efetua manutenção de iluminação pública nos superpostes ou em postes de iluminação pública rebaixada, por serem de propriedade da Prefeitura Municipal.

Para mais informações, visite a página Tarifa Social Baixa Renda.

Para receber nova senha para acesso a sua conta online, efetue procedimento abaixo.

  1. Acesse nosso site www.copel.com;
  2. Clique no link “Agência Virtual”;
  3. Clique em “Mais Serviços”;
  4. Clique em “Cliente”;
  5. Preencha os campos “Unidade Consumidora” e o “Nº do Documento” do titular;
  6. Clique em “Entrar”;
  7. Na tela seguinte, clique no link “Esqueceu sua senha?”;
  8. Será exibido o endereço de e-mail para encaminhar a senha. Clique em “Enviar”.


A senha será enviada para endereço de e-mail que consta em seu cadastro da Copel.

As bolas que são instaladas nas redes de alta tensão, são esferas de fibra de vidro na cor laranja e tem por finalidade sinalizar os cabos da rede nos locais sujeitos a vôos de aeronaves e helicópteros. A instalação é obrigatória conforme normas da ABNT para o setor elétrico nacional e visam evitar acidentes.

Não. O que determina o consumo de energia é o tempo de uso e a potência dos eletrodomésticos instalados, e não a sua tensão.

Sim. Caso haja uma sobrecarga em função de um raio, a rede elétrica, os cabos telefônicos e mesmo os cabos de TV por assinatura podem conduzir corrente até os aparelhos, danificando-os independente de estarem desligados.

Retire os equipamentos da tomada e aguarde o reestabelecimento da energia.

Se o “benjamim” não estiver bem fixado à tomada ou exceder a sua capacidade de passagem de corrente elétrica, ele pode aquecer e desperdiçar energia. Mas é sempre bom evitá-los, nem tanto pelo consumo, mas pela segurança das instalações. Quando utilizamos um “T” ou extensão, o circuito que alimenta a tomada fica sobrecarregado, aumentando o consumo por causa do aquecimento dos fios e podendo causar até incêndios.

Não. Quando você apaga a luz, não há consumo de energia. A lâmpada não irá consumir mais energia do que o normal se você resolver acendê-la em seguida. Acender e apagar as luzes com frequência diminui a vida útil das lâmpadas incandescentes. As lâmpadas fluorescentes também sofrem alteração, mas como sua vida útil é muito grande, é mais econômico desligá-la, mesmo que por pequenos intervalos de tempo.

Sim, a vida útil de uma lâmpada é influenciada pela quantidade de acendimentos a que ela é submetida. Porém, é importante pensar na questão custo/benefício: a energia economizada ao apagar as lâmpadas pode compensar a diminuição de sua vida útil.

Existem algumas dicas de como economizar energia que a Copel disponibiliza em seu site. Clique aqui para visualizá-las. Você pode ainda substituir equipamento de sua residência por outros de menor consumo. O simulador de consumo pode auxiliar a identificação de oportunidades para economizar energia.

Por força de Legislação Federal e Estadual, a admissão na Copel só pode ser efetuada mediante aprovação em concurso público. Desta forma, não mantemos em nosso arquivo currículos de candidatos.

Para informações sobre estágio, favor procurar o Centro Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE-PR), cadastrando-se pelo site: www.cieepr.org.br com o qual a Copel tem convênio para a seleção de estagiários.

A Copel como uma Empresa de Economia Mista, só realiza compras ou contratação de serviços através de licitação. Caso haja interesse em que sua empresa faça parte de nossos fornecedores, é necessário providenciar seu cadastramento junto à Copel.

Formulários, instruções para cadastramento e as exigências técnicas específicas para os serviços permanentes poderão ser obtidos diretamente na página Fornecedores. Nesta seção do site é possível obter informações de como se cadastrar ou renovar o cadastro.

No Paraná, não é comum uma usina específica para atender uma determinada região. O sistema da Copel integra o Sistema Interligado Nacional. Isso quer dizer que todas as usinas da Copel produzem energia que é distribuída a um sistema que atende a todo o país. A Copel, como as demais distribuidoras do país, também compra energia elétrica gerada por Itaipu. Quando a Empresa dispõe de excedente de energia, ela pode vendê-la para outras concessionárias do Sistema Interligado Nacional.

Você que é empresário encontrará tudo que a Copel oferece para seu negócio aqui. Pode ser indústria, comércio ou serviço temos aqui todas as informações necessárias para você administrar sua conta de luz. 

O Programa de Eficiência Energética da Copel é executado anualmente em atendimento a cláusula do Contrato de Concessão de Distribuição de Energia Elétrica e a Lei nº 9.991/00 por meio do qual são aplicados recursos financeiros em projetos que tem como objetivo a promoção da eficiência energética no uso final da energia elétrica.

Os critérios para aplicação dos recursos e procedimentos necessários para apresentação do Programa à ANEEL estão estabelecidos nos Procedimentos do Programa de Eficiência Energética – PROPEE, aprovado pela Resolução Normativa Nº 830/2018.

Consulte

Chamada Pública PEE Copel 002/2019 – publicada em 04/11/2019

O fator de potência é uma relação entre a energia ativa e a energia aparente ou total, que mostra se a empresa consome energia elétrica adequadamente.

Acesse o guia Fator de Potência (PDF) e saiba mais sobre o assunto.

Saiba como controlar o gasto de energia elétrica de sua casa. No simulador você pode calcular o consumo de cada aparelho nos diferentes cômodos.

Pode ser no débito automático, em nossa rede arrecadadora, nos bancos ou nas lotéricas.

Escolhe a forma mais cômoda para você.

Nesta seção estão disponíveis as orientações referentes aos documentos necessários, para pessoa física e jurídica, bem como os formulários para solicitações e alterações no sistema de iluminação em vias internas dos Condomínios.

Documentos relacionados à identificação do consumidor

Pessoa Física

  • CPF, com situação cadastral válida junto à Receita Federal do Brasil – RFB; e
  • carteira de identidade, ou na ausência desta, outro documento de identificação oficial com foto; ou
  • apenas o Registro de Nascimento Indígena – RANI no caso de indígenas.


Pessoa Jurídica

  • Cartão CNPJ emitido no Estado do Paraná;
  • Comprovante de Inscrição Estadual (sempre que houver); e
  • demais documentos constitutivos, conforme exibido a seguir:

Condomínios – Convenção Condominial registrada no Cartório de Registro de Imóveis e Ata da assembléia de eleição do síndico registrada no Cartório de Títulos e Documentos.

Empresa “Ltda” – Contrato Social e última alteração, registrados no Cartório de Registro de Pessoa Jurídica ou na Junta Comercial.

Empresa “S/A” – Estatuto Social e última alteração, registrados na Junta Comercial.

Empresário Individual – Formulário de Requerimento de Empresário (antiga Declaração de Firma Individual), registrado na Junta Comercial.

Microempreendedor Individual (MEI) – Certificado da Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI).

Consórcios – Contrato de consórcio registrado na Junta Comercial, em que conste nomeação de representante legal autorizado a celebrar contratos.


Formulários

Declaração de carga de condomínios
Declaração do responsável pelo empreendimento
Termo de compromisso para utilização de postes por condomínios
Formulário para alteração de iluminação de vias internas de condomínios.

Clientes Alta Tensão

Clientes Alta Tensão (AT) são atendidos em tensão de fornecimento superior a 2,3 KV. Neste portal, os Clientes AT poderão ter acesso as informações pertinentes ao seu tipo de fornecimento de energia.

Informe-se sobre ultrapassagem de demanda, período de testes, alteração de demanda dentre outros.

Prestação ou solicitação de serviços junto à área de Medição

Consulte seu projeto elétrico

Serviços

Fatura Digital

Alteração de Demanda

Assinatura Digital

Memória de Massa

Segunda Via

Contrato de prestação de serviço público de energia elétrica para consumidores titulares de unidades consumidoras do grupo B

 

A COPEL DISTRIBUIÇÃO S.A, CNPJ nº 04.368.898/0001-06, com sede Rua José Izidoro Biazetto, 158, bairro Mossunguê, Curitiba – PR, subsidiária integral da Companhia Paranaense de Energia – COPEL, doravante denominada DISTRIBUIDORA, em conformidade com a Lei no 8.078, de 11 de setembro de 1990, e o consumidor identificado acima deste, doravante denominado CONSUMIDOR, responsável pela unidade consumidora também identificada acima, aderem, de forma integral, a este Contrato de Prestação de Serviço Público de Energia Elétrica para unidades consumidoras do Grupo B, na forma deste Contrato de Adesão.

 

Das definições

  1. Carga instalada: soma das potências nominais dos equipamentos elétricos instalados na unidade consumidora, em condições de entrar em funcionamento, expressa em quilowatts (kW);
  2. Consumidor: pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, legalmente representada, que solicite o fornecimento de energia ou o uso do sistema elétrico à distribuidora, assumindo as obrigações decorrentes deste atendimento à(s) sua(s) unidade(s) consumidora(s);
  3. Distribuidora: agente titular de concessão ou permissão federal para prestar o serviço público de distribuição de energia elétrica;
  4. Energia elétrica ativa: aquela que pode ser convertida em outra forma de energia, expressa em quilowatts-hora (kWh);
  5. Energia elétrica reativa: aquela que circula entre os diversos campos elétricos e magnéticos de um sistema de corrente alternada, sem produzir trabalho, expressa em quilovolt-ampère-reativo-hora (kvarh);
  6. Grupo B: grupamento composto de unidades consumidoras com fornecimento em tensão inferior a 2,3 quilovolts (kV);
  7. Indicador de continuidade: valor que expressa a duração, em horas, e o número de interrupções ocorridas na unidade consumidora em um determinado período de tempo;
  8. Interrupção de fornecimento: desligamento temporário da energia elétrica para conservação e manutenção da rede elétrica e em situações de casos fortuitos ou de força maior;
  9. Padrão de tensão: níveis máximos e mínimos de tensão, expressos em volts (V), em que a distribuidora deve entregar a energia elétrica na unidade consumidora, de acordo com os valores estabelecidos pela ANEEL;
  10. Ponto de entrega: conexão do sistema elétrico da distribuidora com a unidade consumidora e situa-se no limite da via pública com a propriedade onde esteja localizada a unidade consumidora;
  11. Potência disponibilizada: potência em quilovolt-ampère (kVA) de que o sistema elétrico da distribuidora deve dispor para atender aos equipamentos elétricos da unidade consumidora;
  12. Suspensão do fornecimento: desligamento de energia elétrica da unidade consumidora, sempre que o consumidor não cumprir com as suas obrigações definidas na Cláusula Quarta;
  13. Tarifa: valor monetário estabelecido pela ANEEL, fixado em Reais por unidade de energia elétrica ativa ou da demanda de potência ativa; e
  14. Unidade consumidora: conjunto composto por instalações, equipamentos elétricos, condutores e acessórios, incluída a subestação, quando do fornecimento em tensão primária, caracterizado pelo recebimento de energia elétrica em apenas um ponto de entrega, com medição individualizada, correspondente a um único consumidor e localizado em uma mesma propriedade ou em propriedades contíguas;

 

Cláusula primeira: Do objeto

Este instrumento contém as principais condições da prestação e utilização do serviço público de energia elétrica entre a distribuidora e o consumidor, de acordo com as Condições Gerais de Fornecimento de Energia Elétrica e demais regulamentos expedidos pela Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL.

 

Cláusula segunda: dos principais direitos do consumidor

  1. receber energia elétrica em sua unidade consumidora nos padrões de tensão e de índices de continuidade estabelecidos;
  2. ser orientado sobre o uso eficiente da energia elétrica, de modo a reduzir desperdícios e garantir a segurança na sua utilização;
  3. escolher uma entre pelo menos 6 (seis) datas disponibilizadas pela distribuidora para o vencimento da fatura;
  4. receber a fatura com antecedência mínima de 5 (cinco) dias úteis da data do vencimento, exceto quando se tratar de unidades consumidoras classificadas como Poder Público, Iluminação Pública e Serviço Público, cujo prazo deve ser de 10 (dez) dias úteis;
  5. responder apenas por débitos relativos à fatura de energia elétrica de sua responsabilidade;
  6. ter o serviço de atendimento telefônico gratuito disponível 24 (vinte e quatro) horas por dia e sete dias por semana para a solução de problemas emergenciais;
  7. ser atendido em suas solicitações e reclamações feitas à distribuidora sem ter que se deslocar do Município onde se encontra a unidade consumidora;
  8. ser informado de forma objetiva sobre as providências adotadas quanto às suas solicitações e reclamações, de acordo com as condições e prazos de execução de cada situação, sempre que previstos em normas e regulamentos;
  9. ser informado, na fatura, sobre a existência de faturas não pagas;
  10. ser informado, na fatura, do percentual de reajuste da tarifa de energia elétrica aplicável a sua unidade consumidora e data de início de sua vigência;
  11. ser ressarcido por valores cobrados e pagos indevidamente, acrescidos de atualização monetária e juros;
  12. ser informado, por escrito, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias, sobre a possibilidade da suspensão de fornecimento por falta de pagamento;
  13. ter a energia elétrica religada, no caso de suspensão indevida, sem quaisquer despesas, no prazo máximo de até 4 (quatro) horas, a partir da constatação da distribuidora ou da informação do consumidor;
  14. receber, em caso de suspensão indevida do fornecimento, o crédito estabelecido na regulamentação específica;
  15. ter a energia elétrica religada, no prazo máximo de 24 (vinte e quatro) horas para a área urbana ou 48 (quarenta e oito) horas para a área rural, observadas as Condições Gerais de Fornecimento;
  16. ser ressarcido, quando couber, por meio de pagamento em moeda corrente no prazo máximo de 45 (quarenta e cinco) dias, a partir da respectiva data de solicitação ou, ainda, aceitar o conserto ou a substituição do equipamento danificado, em função da prestação do serviço inadequado do fornecimento de energia elétrica;
  17. receber, por meio da fatura de energia elétrica, importância monetária se houver descumprimento, por parte da distribuidora, dos padrões de atendimento técnicos e comerciais estabelecidos pela ANEEL;
  18. ser informado sobre a ocorrência de interrupções programadas, por meio de jornais, revistas, rádio, televisão ou outro meio de comunicação, com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas;
  19. ser informado, por documento escrito e individual, sobre as interrupções programadas, com antecedência mínima de 5 (cinco) dias úteis, quando existir na unidade consumidora pessoa que dependa de equipamentos elétricos indispensáveis à vida;
  20. ter, para fins de consulta, nos locais de atendimento, acesso às normas e padrões da distribuidora e às Condições Gerais de Fornecimento de Energia Elétrica;
  21. quando da suspensão do fornecimento, ser informado das condições de encerramento da relação contratual;
  22. cancelar, a qualquer tempo, a cobrança na fatura de contribuições e doações para entidades ou outros serviços executados por terceiros por ele autorizada; e
  23. ser informado sobre o direito à Tarifa Social de Energia Elétrica – TSEE e sobre os critérios e procedimentos para a obtenção de tal benefício, se for o caso.
  24. receber, até o mês de maio do ano corrente, declaração de quitação anual de débitos do ano anterior, referentes ao consumo de energia elétrica.

 

Cláusula terceira: dos principais deveres do consumidor

  1. manter a adequação técnica e a segurança das instalações elétricas da unidade consumidora, de acordo com as normas oficiais brasileiras;
  2. responder pela guarda e integridade dos equipamentos de medição quando instalados no interior de sua propriedade;
  3. manter livre, aos empregados e representantes da distribuidora, para fins de inspeção e leitura, o acesso às instalações da unidade consumidora relacionadas com a medição e proteção;
  4. pagar a fatura de energia elétrica até a data do vencimento, sujeitando-se às penalidades cabíveis em caso de descumprimento;
  5. informar à distribuidora sobre a existência de pessoa residente que use equipamentos elétricos indispensáveis à vida na unidade consumidora;
  6. manter os dados cadastrais da unidade consumidora atualizados junto à distribuidora, especialmente quando da mudança do titular, solicitando a alteração da titularidade ou o encerramento da relação contratual, se for o caso;
  7. informar as alterações da atividade exercida (ex.: residencial; comercial; industrial; rural; etc.) na unidade consumidora;
  8. consultar a distribuidora quando o aumento de carga instalada da unidade consumidora exigir a elevação da potência disponibilizada; e
  9. ressarcir a distribuidora, no caso de investimentos realizados para o fornecimento da unidade consumidora e não amortizados, excetuando-se aqueles realizados em conformidade com os programas de universalização dos serviços.

 

Cláusula quarta: da suspensão do fornecimento

  1. Não se caracteriza como descontinuidade do serviço a sua interrupção imediata, pelas razões descritas nos itens 1 e 2 seguintes, ou após prévio aviso, pelas razões descritas nos itens 3 a 5:
  2. deficiência técnica ou de segurança em instalações da unidade consumidora que ofereçam risco iminente de danos a pessoas, bens ou ao sistema elétrico;
  3. fornecimento de energia elétrica a terceiros;
  4. impedimento do acesso de empregados e representantes da distribuidora para leitura, substituição de medidor e inspeções necessárias;
  5. razões de ordem técnica; e
  6. falta de pagamento da fatura de energia elétrica.

 

Cláusula quinta: da execução de serviços e contribuições de caráter social

A distribuidora pode:

  1. executar serviços vinculados à prestação do serviço público ou à utilização da energia elétrica, observadas as restrições constantes do contrato de concessão e que o consumidor, por sua livre escolha, opte por contratar; e
  2. incluir na fatura, de forma discriminada, contribuições de caráter social, desde que autorizadas antecipadamente e expressamente pelo consumidor.

 

Cláusula sexta: do encerramento da relação contratual

Pode ocorrer por:

  1. pedido voluntário do titular da unidade consumidora para encerramento da relação contratual;
  2. decurso do prazo de 2 (dois) ciclos completos de faturamento após a suspensão regular e ininterrupta do fornecimento à unidade consumidora; e
  3. pedido de fornecimento formulado por novo interessado referente à mesma unidade consumidora.

 

Cláusula sétima: dos recursos e da competência

  1. vencido o prazo para o atendimento de uma solicitação ou reclamação feita para a distribuidora, ou se houver discordância em relação às providências adotadas, o consumidor pode contatar a ouvidoria da distribuidora;
  2. a ouvidoria da distribuidora deve comunicar ao consumidor, em até 15 (trinta) dias, as providências adotadas quanto às suas solicitações e reclamações, cientificando-o sobre a possibilidade de reclamação direta à agência estadual conveniada ou, em sua ausência, à ANEEL, caso persista discordância;
  3. sempre que não for oferecido o serviço de ouvidoria pela distribuidora, as solicitações e reclamações podem ser apresentadas pelo consumidor diretamente à agência estadual conveniada, ou, em sua ausência, diretamente à ANEEL.

Legislação do Setor

Resolução Normativa ANEEL 414/2010 (PDF), está em vigor desde 15 de setembro de 2010, trata-se de uma revisão da Resolução Normativa Nº 456/2000. Consolida as normas e estabelece novas regras para as relações entre as concessionárias de energia elétrica e os consumidores.

Lei Nº 8.078 de 11/09/1990 – Visualizar o código na íntegra.

Consulte o Contrato de Prestação de Serviço Público de Energia Elétrica.

Para obter mais informações sobre as leis que regem o setor elétrico entre em contato através de nossos canais de atendimento ou visite o site da Agência Nacional de Energia Elétrica.

As normas que disciplinam o relacionamento entre as distribuidoras de energia elétrica e demais agentes (unidades consumidoras e centrais geradores) conectados aos sistemas de distribuição, podem ser encontradas no PRODIST.

Resolução Homologatória 2.704, de 23 de junho de 2020, estabelece as Tarifas de Energia – TE e as Tarifas de Uso do Sistema de Distribuição – TUSD referentes à Copel Distribuição S.A. – Copel-DIS e dá outras providências. As tarifas de aplicação da Copel-DIS, ficam reajustadas em 0,41% (zero virgula quarenta e um por cento), correspondendo ao efeito tarifário médio a ser percebido pelos consumidores/usuários/agentes supridos da distribuidora.

Abaixo você tem informações sobre as tarifas aplicadas aos grupos tarfifários A e B.

Conheça também:

Tarifas aplicadas ao grupo B

  • Importante ressaltar que as tarifas já estão disponibilizadas com os impostos (ICMS, PIS e COFINS), vigentes a partir de 09.07.2020, inclusos para facilitar o entendimento do consumidor, no entanto, as alíquotas efetivas referentes ao PIS e à COFINS devem ser apuradas mensalmente, com suas variações sendo aplicadas às tarifas tempestivamente.
  • TUSD: Tarifa de uso do sistema.
  • TE: Tarifa de energia.
  • As tarifas TUSD e TE são apresentadas de forma unificada na fatura.

Tarifas aplicadas ao grupo A

  • Conforme estabelece a REN nº 414/2010, a ultrapassagem de demanda corresponde a duas vezes o valor da tarifa de aplicação.
  • Importante ressaltar que as tarifas já estão disponibilizadas com os impostos (ICMS, PIS e COFINS), vigentes a partir de 09.07.2020, inclusos para facilitar o entendimento do consumidor, no entanto, as alíquotas efetivas referentes ao PIS e à COFINS devem ser apuradas mensalmente, com suas variações sendo aplicadas às tarifas tempestivamente.
  •  Podem existir variações em relação às tarifas informadas para o subgrupo A1, pois elas são definidas por consumidor.
  • TUSD: Tarifa de uso do sistema.
  • TE: Tarifa de energia.
  • As tarifas TUSD e TE são apresentadas de forma unificada na fatura.

Para a sua casa

Precisando de luz em sua casa?

Resolver algum problema de fornecimento, ou querendo alguma outra informação?

Aqui você encontra tudo que pode lhe ajudar com a conta de luz de sua casa, seja você um novo cliente ou um cliente antigo.

Para a sua empresa

Você que é empresário encontrará tudo que a Copel oferece para seu negócio aqui.

Pode ser indústria, comércio ou serviço temos aqui todas as informações necessárias para você administrar sua conta de luz. 

Para propriedade rural

Unidades consumidoras que desenvolvem atividade rural têm direito aos descontos da Tarifa Rural.

Para solicitar apresente a documentação abaixo relacionada em uma de nossas agências ou pelo nosso Portal de Serviços

Poder Público

Aos órgãos do poder público estão disponíveis instruções para arborização das vias públicas, iluminação pública, construção de loteamentos e redes, além de informações sobre os programas sociais realizados pela Copel.

Equipamento Eletromédico

Informações para clientes que façam uso de equipamentos eletromédicos ou tenham em suas residências alguém que utilize este tipo de equipamento.

Para projetistas

Projeto Elétrico Web

O PEW - Projeto Elétrico Web, é uma plataforma digital de apresentação de projetos de entradas de serviço de uso exclusivo de projetistas, devidamente cadastrados no sistema.

Não é cadastrado?
Faça seu cadastro agora

Guia do consumidor

Neste guia você encontra as principais informações de serviços da Copel para deixar sua vida muito mais prática.

Download

Total downloads: 1254

A Copel é responsável pela distribuição de energia no estado do Paraná. A empresa administra mais de 200 mil km de redes de distribuição e atende quase todo o estado.

Ela conta com postos de atendimento espalhados por todos os municípios da área de concessão. Para a comodidade do cliente, a Copel oferece uma grande variedade de canais de atendimento, como aplicativo para smartphones e tablets, agência virtual, e-mail, call center.

Número de consumidores cativos

*em julho de 2020

0
Residenciais
0
Industriais
0
Comerciais
0
Rurais
0
Outros
0
Total