Copel conclui plantio de 75 mil mudas em área de preservação de hidrelétrica

Publicado em 6 de abril de 2021

Equipes contratadas pela Pequena Central Hidrelétrica Bela Vista concluíram o plantio de mais de 75 mil mudas de árvores nativas em um terreno de 68 hectares (ha) na Área de Preservação Permanente (APP) do empreendimento, que está em fase final de construção pela Copel, nos municípios de Verê e São João, no sudoeste do Paraná.

A área, anteriormente destinada a atividades agropecuárias, recebeu espécies variadas, como açoita-cavalo, araçá-do-mato, cedro-rosa, erva-mate, ipê-amarelo, fumo-bravo e guabiroba. A partir de agora, todas as mudas terão o crescimento monitorado.

Após a formação do reservatório e com essa recomposição da faixa de 100 metros de APP, a área de floresta preservada passará de 130 ha para 291 ha. Essa diferença de 161 ha inclui os 68 ha onde foi realizado replantio e 93 ha que já estão com a mata em processo de regeneração natural. O resultado desses esforços será a formação de um grande cinturão verde no entorno do reservatório, que se integrará com os demais remanescentes na região.

Além do plantio de mudas nativas, até o momento, já foram instalados mais de 11,6 mil metros de cercas junto às propriedades lindeiras à APP da PCH Bela Vista. Essa ação é fundamental para isolar a área de preservação e impedir que agentes externos possam prejudicar a formação de um corredor ecológico com vegetação nativa ou afetar o desenvolvimento das mudas nas áreas onde ocorreram os plantios. O isolamento também pode contribuir com o retorno da fauna silvestre a esses locais.

Serviço:

As ações da Copel ligadas à sustentabilidade estão relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – uma agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável em setembro de 2015, composta por 17 objetivos e 169 metas a serem atingidos até 2030. A Copel comprometeu-se com os ODS, em 2016, e tem realizado muitas ações envolvendo todas as suas subsidiárias em prol da Agenda 2030. A recomposição e manutenção de áreas de preservação permanente nas áreas das usinas hidrelétricas contribui diretamente para o ODS 7 – relativo à energia acessível e limpa – e ao ODS 15, referente à proteção, recuperação e promoção do uso sustentável dos ecossistemas terrestres e da biodiversidade.